Caro amigo,

Gostaria de dizer que os últimos dias estão sendo fáceis, mas eu estaria mentindo para você e para mim mesmo. Tento encontrar pistas para a aquarela do sentido, assim como resquícios para a furtiva sanidade, mas são aspectos da existência que fogem de minhas mãos. A solidão e o pessimismo pressionam meu interior, favorecendo dias penosos e sem sentido. 


Mas o que são dias fáceis? Sinônimos da paz e da felicidade, fingidas e dissimuladas? Provável que não, como você há de concordar. Ainda assim, continuo sem saber ou entender, sobretudo graças à minha incapacidade de me expressar ou buscar a lucidez em outros seres humanos.

Um dia desses, sozinho em casa, comprei um vinho barato para refletir e buscar o conhecimento. Bebi até a última gota do fel, mas ao espiar no fundo vazio da garrafa, nada encontrei. Me virei do avesso e encontrei somente o vazio. Odiei o vinho por não me fornecer respostas, e odiei as pessoas que não estavam ali e me faziam beber sozinho.
Ninguém deveria se desentender com vinho e com as pessoas. É perda de tempo - Claude Lherminier, Floride
A maior parte de meus segundos são gastos com desentendimentos, e muitas vezes eles não fazem sentido algum. Será que tenho problemas? Eu realmente não sei. Você percebe o quanto é triste ser formado apenas de incertezas? Fico imaginando como seria carregar as certezas da vida no peito, essas fundamentais para firmar nossos pés no chão e não nos deixar cair.
A vida é como uma pista de gelo. Há muitas pessoas que caem. - Aurélie, Le Tout Nouveau Testament
O problema, meu amigo, é que eu caio demais. Meus pés escorregam o tempo todo e sou levado ao chão vezes sem fim. Minhas feridas vão se tornando profundas, as marcas roxas em meus braços e pernas se intensificam, as lágrimas escorrem e não há nada a fazer para pará-las. E assim eu continuo, sem saber o que fazer.

Eu só queria ser alguém melhor, sem ter a sensação de que tudo o que faço está errado. Sem acreditar que sou um ser humano sem função e que nada consegue fazer. 
Um sábio uma vez me disse: “Está tudo bem ser assim”. Não acreditei nele, mas por alguma razão, comecei a agir assim. – Jesse Fisher, Liberal Arts
Como poderia achar que está tudo bem, se nada consigo agindo do meu jeito? Tudo o que faço é ser otimista e acreditar que acontecimentos melhores chegarão de mansinho. Mas eles não estão chegando, e o desespero está batendo em meu peito. Bate e volta, sem parar.

Mas estou me exaltando. Vejo bem que estou me desesperando, e não posso fazer isso. Nessas horas minha respiração fica rápida, todo meu corpo dói e minha mente é tomada por pensamentos ruins. Aqueles de flores murchas, imagens desbotadas e estrelas em queda. Vou fazer de tudo para ficar bem, prometo. Estou fazendo de tudo. Você me ajuda? 
Eu não vou deixar ninguém te machucar novamente. E eu não vou te machucar. Eu só quero que você seja quem você é. Você me escutou? Farei o melhor, prometo. - Karen Moreno, Demolition
Obrigado, meu amigo. Quando essa mensagem chegar a você, estaremos em um novo ano, de desejos marotos e sonhos bonitos. Eu só queria que você estivesse aqui para que pudéssemos sair e aproveitar a virada do ano como nós merecemos. Como eu mereço.

Tenho insistido comigo mesmo que meu melhor início de 2017 será sozinho, em casa, com alguma bebida em mãos. Afinal, um copo às vezes é um bom amigo. E um filme, talvez. Essa já foi a melhor forma de me agradar, em anos escuros e sombrios do passado. Mas não é agora e nem será. Um quadro bonito de início de ano seria eu com meus amigos, me divertindo e sendo feliz. Mas eu não terei ninguém. Nestes dias não tenho ninguém ao meu lado. 
Estou aqui, não estou? – Frank, Belgica.
Sei que está, mas ao mesmo tempo não está. Você está em espírito, e não em corpo. Você me ajuda quando fecho os olhos, mas nunca ajudará segurando minhas mãos. E isso é muito difícil. Eu só queria ter você por perto. Eu só queria saber como lidar.

Meus outros amigos estão por aí, vivendo suas vidas, sendo felizes de suas maneiras. E eu não tenho uma maneira de ser feliz sozinho, já que estou sempre triste comigo mesmo. A sina parece ser a felicidade com os outros, em função dos outros.

Passei tanto tempo em casa, sozinho, trancado entre quatro paredes, que eu nunca mais quero ficar sem ninguém por perto. Eu não quero, mas não há como escapar. É um monstro escondido debaixo da cama, pronto para sair. Essa é a minha vida. 
Seu problema é que você não é feliz sendo triste. Mas é isso que o amor é. Feliz-triste. – Raphina, Sing Street
Felicidade e tristeza podem andar juntas? Você diz palavras bonitas que aceito sem nem pensar duas vezes, mas não assimilo em minha mente vazia. Mas você me ajuda. Ajuda muito e não sabe o quanto. Se feliz-triste é o amor, meu amor pelas pessoas e pelo mundo é do tamanho do infinito. Pena que elas nunca percebem esse fato. E talvez nunca vão perceber.

Um ano fresco e singelo começa e eu continuo com os mesmos problemas, as mesmas tristezas. Na verdade, não, confesso. Se pegarmos meu eu dessa mesma época, no ano passado, veríamos que os dramas eram outros, bem diferentes. Mas ainda continuo com os dramas, que não consigo resolver. Você me ajuda? Você me levanta quando eu cair, e ampara meus passos para um final feliz? 
E nós precisamos do final? Algumas vezes na vida, você precisa fazer seus próprios finais. Contar sua própria história. – Danzer, Brothers of the Wind
Tudo bem, você tem razão. Começos, meios e finais fazem sentido apenas nos filmes, na vida a história é outra. A vida é contínua, quase sempre sem delimitações. Não sei se estou preparado para esse ano, pois nunca estive pronto para ano algum. Mas eu toco meu rosto e vejo que estou vivo. Talvez, sozinho, eu possa contar minha própria história. Mas não estou sozinho. Estou com você.

Com carinho,
M.